SAS Discover: entenda quais são os seus diferenciais dentro da solução CI 360

Category: Marketing

A SAS, empresa responsável por fazer com que cada vez mais corporações usem análises poderosas no seu dia a dia, conta com uma inovadora tecnologia de marketing digital: o SAS Customer Intelligence 360. Ele consegue combinar dados gerados nos canais digitais, oferecendo uma visão completa do comportamento de consumidor quando interage com a marca. Dessa …

A SAS, empresa responsável por fazer com que cada vez mais corporações usem análises poderosas no seu dia a dia, conta com uma inovadora tecnologia de marketing digital: o SAS Customer Intelligence 360.

Ele consegue combinar dados gerados nos canais digitais, oferecendo uma visão completa do comportamento de consumidor quando interage com a marca. Dessa forma, é possível oferecer ao usuário uma experiência única em sua jornada.

Essa ferramenta engloba, entre várias soluções, o módulo central, o SAS 360 Discover. Esse módulo permite a coleta de dados do que chamamos de first, second e third-party. Isso é possível por meio da conexão de diversos bancos de dados das plataformas digitais da empresa, o que oferece uma visão holística do cliente.

Recursos:

Coleta de dados da web, aplicações móveis e de interações

  • Coleta do comportamento do consumidor pelos acessos nas propriedades digitais;
  • Monitoramento de conversões, page views e sequência de navegação e interações;
  • HTML tagging, Javascript APIs e SDKs que permitem ainda mais capturas;
  • Customização da coleta de dados em compliance com a LGPD, GDPR e CCPA.

Modelo de Dados Abertos

  • Disponibilização de um conjunto de tabelas relacionais estruturadas;
  • Tradução de dados semiestruturados brutos em informações relevantes;
  • Oferta de download com análises de dados on-line e off-line, tanto para gerenciamento de campanhas quanto para decisões em tempo real;
  • Contextualização do pós-coleta de dados;
  • Configuração de interface para habilitar, padronizar e automatizar como os dados digitais devem ser contextualizados para o modelo de negócios da empresa;
  • Serviços de gerenciamento de identidade que somam: Visualizações de dados para sessões; Clientes potenciais anônimos; tráfego identificável e clientes existentes enquanto atualizam os gráficos de ID do usuário em tempo real, à medida que novos dados são capturados.
  • Apresentação de atributos de dados de 1st / 2nd / 3rd parties por meio de IA e aprendizado de máquina.

Dados ao-vivo

  • Oferta de API externa que permite o streaming de eventos para qualquer nuvem ou ponto de acesso local;
  • Integração com a decisão de elevar os recursos da próxima melhor ação (como pontuação de propensão em tempo real, regras de negócios e arbitragem) para detectar um evento significativo em relação a um cliente e determinar a melhor oferta a ser entregue com base no contexto atual do usuário.

Dashboards interativos

  • Geração de relatórios para análise com compartilhamento de informações por meio de diferentes canais, incluindo aplicativos do Microsoft Office, com uma única interface;
  • Apresentação de dados de maneira atrativa com técnicas avançadas de visualização e de análise guiada com gráficos automáticos.

Preparação e análise de dados de autoatendimento

  • Previsão personalizável, busca de metas, análise de cenário, árvores de decisão, analítica de texto, sentimento, caminho, correlação, gráficos de coordenadas paralelas, mapas de calor, localização/geoespacial, diagramas de rede e outras análises visuais;
  • A preparação inclui limpeza, transposição, anexação, união, padronização, divisão e engenharia de recursos.

Trabalho inteligente com dados digitais

  • Sugestões baseadas em IA que podem gerar transformações automáticas, como codificação one-hot, centro e escala, e imputação sob medida para os dados – sem necessidade de codificação;
  • Explicações em linguagem natural geradas dinamicamente combinadas com previsões, árvores de decisão, análise de texto, análises de rede, caminhos e outros recursos que ajudam os usuários a entender melhor os resultados.

Análise ampliada

  • O autocharting escolhe automaticamente o gráfico mais adequado para exibir os dados;
  • Explicação automatizada determina quais variáveis, dimensões e métricas contribuem para um resultado e, ao mesmo tempo, fornece uma explicação simples em linguagem natural, destacando padrões e valores discrepantes;
  • Predição automatizada cria aprendizado de máquina múltiplo para seus dados, com base na variável indicada, e os insights derivados são incorporados em relatórios interativos.

Incorpore insights

  • Incorporação de resultados de qualquer painel, relatório, visualização ou análise, incluindo web e aplicativos móveis personalizados.

Acesse as informações adicionais do Módulo:

https://www.sas.com/pt_br/software/360-discover.html

A Átimo se orgulha em contar com a SAS para oferecer as melhores soluções aos nossos clientes.

Segurança de dados: conheça os três pilares da segurança da informação

Category: Marketing

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) prevê que dados armazenados por empresas devem ser coletados e manipulados da forma correta, garantindo a privacidade não só dos dados dos clientes, mas também daqueles que pertencem à própria empresa. Em agosto de 2021, as penalidades da LGPD passaram a ser executáveis. Isso significa que empresas …

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) prevê que dados armazenados por empresas devem ser coletados e manipulados da forma correta, garantindo a privacidade não só dos dados dos clientes, mas também daqueles que pertencem à própria empresa.

Em agosto de 2021, as penalidades da LGPD passaram a ser executáveis. Isso significa que empresas que não cumprirem a lei poderão sofrer advertência, multa e até suspensão do exercício da atividade.

Para se manter em compliance com a legislação, foram estabelecidos três pilares da segurança da informação:

  • Confidencialidade;
  • Disponibilidade;
  • Integridade.

Continue lendo para entender mais sobre cada um deles.

Confidencialidade

É o pilar ligado à privacidade das informações. Significa garantir que as informações dos usuários ou da empresa sejam disponibilizadas apenas a quem tenha autorização para acessá-las. Para isso, a empresa precisa adotar determinadas ações, como definir quem são as pessoas autorizadas a terem acesso aos dados sensíveis e/ou pessoais.

O trabalho em equipe é extremamente importante, então mais uma forma de garantir a confidencialidade dos dados é conscientizar e instruir o time sobre como não violar as regras de segurança e proteger suas máquinas. Uma ação prática é adotar criptografia e dupla autenticação de acesso.

Disponibilidade

Está atrelada à acessibilidade de informações da empresa. É a capacidade de colaboradores consultarem dados a qualquer hora e em todo lugar. Isso é fundamental para a agilidade no meio corporativo. Entretanto, é preciso adotar medidas de segurança como firewall, nobreak e backup.

  • Nobreak: garante acesso aos sistemas em caso de queda de energia
  • Firewall: é uma barreira de proteção contra-ataques aos serviços;
  • Backup: quando um dado é corrompido, o backup recupera tais informações.

Integridade

Neste pilar é preciso preservar a precisão, consistência e confiabilidade das informações. Isso significa assegurar que nenhuma alteração aos dados ocorreu em posse da empresa.

Para aumentar a integridade, implemente serviços de assinatura digital. Assim, quando um documento nesse modelo de confirmação for alterado, o usuário será informado por meio de um sistema de controle de versões. A Átimo é uma empresa preparada para sustentar o compliance exigido. Para entender mais sobre temas que envolvem a Lei Geral de Proteção de Dados e Segurança da Informação, continue acompanhando nosso site e nossas redes sociais.

Cinco dicas para construir uma persona usando dados

Category: Marketing

A construção de um público alvo é um processo moroso e amplo. Por isso, a criação de personas tem sido uma solução ideal para a identificação das jornadas do consumidor. A persona é um cliente fictício que acompanha uma determinada marca. O objetivo é realmente simular uma pessoa que consumiria os produtos ou serviços dessa …

A construção de um público alvo é um processo moroso e amplo. Por isso, a criação de personas tem sido uma solução ideal para a identificação das jornadas do consumidor. A persona é um cliente fictício que acompanha uma determinada marca. O objetivo é realmente simular uma pessoa que consumiria os produtos ou serviços dessa empresa.

Aqui o parâmetro não é faixa etária, geolocalização ou gênero. Uma persona recebe um nome, declara seus gostos pessoais, informa sua rotina, avisa qual tipo de série ou filme assiste, descreve onde estuda e até compartilha quais os planos possui para o futuro. Por meio dessa simulação, é adequada a linguagem usada pela marca garantindo que ela se comunique de maneira mais assertiva.

Com o auxílio de dados, é possível detalhar ainda mais as características desses consumidores ou leads, deixando a persona hiperpersonalizada. Confira agora cinco dicas para construir uma persona utilizando dados:

  • Conheça o seu consumidor: é essencial reunir todas as informações em um só lugar de conhecimentos adquiridos sobre o cliente.
  • Explore ao máximo: utilize estratégias de cookies e browsing behavior mapeando o comportamento das pessoas na internet. Informações importantes: O que estão pesquisando na internet? Como gostam de interagir com as marcas? O que os fazem entrar e sair de certas páginas? etc.
  • Expanda seu alcance e ganhe novos clientes: a partir de um perfil detalhado é possível fazer o onboarding das informações para uma DMP, podendo ampliar o acesso, atingindo novos perfis.
  • Geomarketing: Essa ferramenta consegue obter dados de localização de uma persona. Assim, sabe-se por onde ela passa durante o dia, com que frequência viaja e o que faz quando viaja.
  • Concretize a persona: usando todas essas dicas, a empresa passa a contar com uma base de dados enorme. Defina o objetivo da sua campanha e use todas essas informações a seu favor. Construa uma persona e coloque-a no papel, com rosto, nome, idade, hobbys e até endereço!

SAS Customer Intelligence 360: como a tecnologia promove uma visão completa do cliente

Category: Marketing

O SAS, empresa global e líder de mercado em Analytics, é responsável pela soluçãoSAS Customer Intelligence 360, ferramenta que combina dados gerados nos canais das empresas e possibilita ações mais assertivas. Como o próprio nome sugere, o novo hub de marketing digital oferece uma visão 360º do comportamento de clientes em todas as formas de …

O SAS, empresa global e líder de mercado em Analytics, é responsável pela soluçãoSAS Customer Intelligence 360, ferramenta que combina dados gerados nos canais das empresas e possibilita ações mais assertivas.

Como o próprio nome sugere, o novo hub de marketing digital oferece uma visão 360º do comportamento de clientes em todas as formas de contato com a marca. Assim, as empresas são capazes de oferecer uma experiência otimizada ao consumidor.

Para entender melhor, o SAS Customer Intelligence 360 é uma tecnologia capaz de agrupar todos os dados disponíveis sobre um usuário, ajudando o marketing a atender as necessidades dos clientes em tempo real. É como explica o diretor global da área de Customer Intelligence do SAS, Wilson Raj. “Por exemplo, com dados integrados à disposição, as companhias podem enviar ofertas imediatas para os smartphones de consumidores quando eles estiverem próximos de suas lojas físicas”, esclarece o diretor.

Os benefícios oferecidos pelo SAS Customer Intelligence 360 são vários. Entre os principais,

estão:

  • Analytics guiado: ao incorporar processos analíticos, o marketing digital se torna mais inteligente e eficiente. A cada interação, a segmentação automática e algoritmos entregam uma melhor contextualização.
  • Liberdade de dados: profissionais do marketing podem acessar seus dados onde, quando e como precisarem. Isso torna as decisões mais rápidas e assertivas.
  • Um consumidor através de todos os canais: a tecnologia associa o que clientes fazem em canais digitais com o que fazem em outros lugares, como em lojas físicas. Essa visão única do consumidor permite ao marketing oferecer uma experiência baseada no histórico de interações e análise de dados preditiva.
  • Insights de desempenho: é possível enxergar quais conteúdos são mais efetivos, em quais segmentos vale a pena investir e quais são as melhores ações para a experiência individual dos consumidores.

O SAS Customer Intelligence 360 veio para inovar as ações de marketing, propondo soluções de última geração e extremamente eficazes e a Átimo conta com o SAS para oferecer o melhor aos nossos clientes.

Data mining: como a mineração de dados otimiza resultados

Category: Marketing

O ser humano sempre aprendeu observando padrões, formulando hipóteses e fazendo testes para descobrir regras. Porém, a quantidade de dados e informações que geramos diariamente é imensa e, por isso, é fundamental contar com iniciativas que captem, entendam e interpretem tantas informações diferentes. O data mining, ou mineração de dados, é uma dessas iniciativas. Basicamente, …

O ser humano sempre aprendeu observando padrões, formulando hipóteses e fazendo testes para descobrir regras. Porém, a quantidade de dados e informações que geramos diariamente é imensa e, por isso, é fundamental contar com iniciativas que captem, entendam e interpretem tantas informações diferentes.

O data mining, ou mineração de dados, é uma dessas iniciativas. Basicamente, ele reflete a estratégia de se extrair um grande volume de informações, as quais dificilmente seriam examinadas, em busca de padrões em um prazo de tempo razoável. O data mining pode ser aplicado tanto à pesquisa científica quanto ao impulsionamento da lucratividade de empresas, trazendo, assim, soluções inovadoras e competitivas.

Para você entender melhor, vamos descrever o método: com o uso automatizado de algoritmos de aprendizagem, em um tempo razoável, o data mining consegue evidenciar tendências de consumo e interação apresentadas por potenciais clientes da empresa, e, desse modo,  gerar mais conhecimento sobre os clientes, seus padrões de consumo e suas motivações.

Devido à quantidade quase infinita de dados a serem avaliados, a mineração não pode ser feita de forma eficiente apenas com a ação humana. O fator humano, contudo, é fundamental para   se construírem modelos preditivos, se avaliarem os resultados dos modelos adotados e se identificar o que falta para melhorar o retorno sobre o investimento.

A estratégia de mineração de dados já tem se espalhado por diversos mercados. Entre eles, empresas de multimídia e telecomunicações que usam modelos analíticos para dar sentido a milhões de dados de clientes, prever seus comportamentos e oferecer campanhas segmentadas e relevantes. Na educação, o método ajuda a acessar dados de alunos e prever conquistas. Já no setor bancário, ajuda a obter uma melhor visão dos riscos de mercado e a detectar fraudes mais rapidamente.  

A mineração de dados é composta e estruturada por técnicas usadas em diferentes capacidades analíticas para abranger uma série de necessidades organizacionais. Dessa forma, cada estrutura estratégica gera perguntas diferentes com diversos níveis de entradas ou regras para se chegar a uma decisão. Esses níveis são chamados de modelagens, as quais podem ser: descritivas, preditivas e prescritivas.

A modelagem descritiva revela similaridades compartilhadas entre os dados, e, assim, é possível descobrir as razões para o sucesso ou o fracasso de produtos ou campanhas.

Essa modelagem agrupa registros semelhantes, identifica valores diferentes, detecta relações entre registros, descobre associações entre variáveis e agrupa pessoas com interesses ou objetivos semelhantes.

A modelagem preditiva vai além, uma vez que é capaz de classificar eventos futuros ou estimar resultados desconhecidos. O formato também ajuda a descobrir informações por meio da churn rate de clientes, do engajamento em campanhas ou de padrões de crédito.

Essa modelagem abrange a correlação entre uma variável dependente e uma série de variáveis independentes, programas de computadores que detectam padrões e realizam previsões, árvores de decisão e modelos de aprendizagem supervisionada.

A modelagem prescritiva lida com as variáveis internas e externas para orientar ações, como por exemplo, a melhor oferta de marketing a ser enviada para cada consumidor.

Esse formato desenvolve regras do tipo se/então a partir de padrões e prevê resultados, otimizando o marketing.

Depois de entender tantos fatores sobre a mineração de dados, você deve estar se perguntando quais as vantagens diretas de empregar o data mining no seu negócio:

  • Diminuição de custos

Compreendendo melhor quem é o seu cliente fica mais fácil focar esforços e investimentos no público-alvo.

  • Aumento da previsibilidade

As informações geradas pelo data mining fornecem a base para a elaboração de modelos estatísticos para a realização de predições mais assertivas.

  • Aumento do retorno sobre o investimento (ROI)

Este item é autoexplicativo: a empresa vai atingir resultados melhores em suas ações de comunicação, gastando menos.

  • Identificação de oportunidades

Com o data mining, podemos prever tendências e movimentos do mercado, identificando novas oportunidades e novos nichos e evitando problemas futuros.

O data mining abre portas para outras diversas vantagens no mundo corporativo e mundo afora, afinal, as informações estão por todos os lados, pautando decisões nos mais variados setores. Em dados a Átimo é especialista. Gostou do artigo e quer aprender mais sobre data? Confira o artigo sobre tráfego qualificado no nosso blog.

Descubra como a ciência de dados pode otimizar os resultados da sua empresa

Category: Marketing

Esqueça as longas horas debruçado sobre intermináveis relatórios em busca de algum detalhe que justifique uma campanha ou estratégia de vendas. Está em curso uma revolução na forma de se coletarem, reunirem e interpretarem dados. Com precisão cirúrgica e celeridade de processamento espantosa, a ciência de dados – ou data science – é cada vez …

Esqueça as longas horas debruçado sobre intermináveis relatórios em busca de algum detalhe que justifique uma campanha ou estratégia de vendas. Está em curso uma revolução na forma de se coletarem, reunirem e interpretarem dados. Com precisão cirúrgica e celeridade de processamento espantosa, a ciência de dados – ou data science – é cada vez mais procurada, em todo o mundo, por empresas interessadas em decifrar as entrelinhas dos comportamentos e gerar insights a partir de dados de clientes. 

A data science envolve o uso e processamento de quantidades massivas de informações ou big data. Além de turbinar o desempenho dos negócios, é extenso o leque de possibilidades. A ciência de dados permite, por exemplo, que se estudem os resultados de uma campanha de marketing, que se confirme a análise da saúde financeira de uma empresa ou até mesmo que se dê suporte à estratégia adotada para uma aquisição. Em outras palavras, ela agrupa dados dispersos para, com uma finalidade específica, oferecer subsídios que geram valor para o negócio. 

Por tudo isso, a ciência de dados vem transformando o mercado e empresas de todos os portes têm entendido às suas vantagens, que envolvem o emprego simultâneo de diversas áreas de conhecimento, como Computação, Estatística, Matemática, Perfil do Negócio, entre outras. Os dados reunidos podem ter diversas origens, como a própria empresa, com seus sites, blogs, produtos, aplicações web e pontos de venda controlados, ou terceiros, com as redes sociais, os anúncios e os softwares de enriquecimento.

Veja alguns exemplos de como a ciência de dados pode otimizar seus resultados:

Previsões de vendas

Com o uso da tecnologia do data science, é possível reconhecer lacunas e perceber insights e, assim, prever e otimizar recursos corporativos para vendas com um esforço muito menor do que o tradicional.

Estratégia de preços personalizados

O data science pode mapear clientes semelhantes com base em comportamentos passados e determinar a combinação final de preço ou o desconto ideal para um público-alvo. Para se chegar a nesse nível de praticidade, a empresa deve dispor de um sistema avançado que analise os dados e gere os preços automaticamente, a depender das condições do mercado e das estratégias dos concorrentes.

Análise de opinião do cliente

Ao se analisarem os dados dos clientes é possível compreender melhor os seus anseios e até prever tendências de mercado. Com a expansão da conectividade, ferramentas capazes de extrair, analisar e expressar os sentimentos do consumidor em relação à sua marca se tornaram grandes aliadas quando o assunto é gerar resultados.

Para realizar essas análises são utilizados algoritmos de mineração de dados. Eles permitem o estudo geral dos escritos disponíveis em diversas plataformas digitais, como blogs, sites e redes sociais.

Potencialização do valor de vida útil do cliente

Durante sua interação com a marca, cada cliente gera uma determinada margem de lucro. Ao se analisarem esses dados, é possível tomar decisões negociais inteligentes. Além disso, conhecer o valor de vida útil de clientes é essencial para se extrair uma perspectiva geral do futuro do negócio. Sendo assim, é possível criar um planejamento para se corrigirem problemas e otimizarem soluções. Uma das estratégias para se aumentar o tempo de vida útil do cliente utilizando-se o data science é criar programas de fidelização e recomendações personalizadas, entre outros recursos.

Prevenção de rotatividade

Por meio de algoritmos que podem identificar os padrões de comportamento de ex-clientes, o data science possibilita determinar o nível de relacionamento de cada um com a marca. Tal cruzamento entre as características e as mudanças periódicas no comportamento das pessoas pode dizer muito sobre a rotatividade de consumidores. Ela é influenciada por fatores como preço, experiência, ajuste do produto ou, até mesmo, datas comemorativas, dependendo do mercado. Desse modo, ao mapear esse comportamento, é possível planejar estratégias para se fidelizarem os clientes.

Lembre-se: a inteligência não está nos dados, e, sim, nas pessoas! Nesse sentido, o data science busca reconhecer lacunas, insights e outras alternativas para se analisarem dados de forma eficaz e rápida.

Marketing orientado a dados: usando a tecnologia para promover resultados

Category: Marketing

A internet mudou a forma das pessoas viverem e se comunicarem. Acompanhando esses avanços, novas ferramentas e estratégias são desenvolvidas todos os dias a fim de melhorar o desempenho comercial das marcas nas redes. Vamos explicar um pouco sobre o marketing por dados que, com o uso da tecnologia, pode alavancar os resultados das empresas. …

A internet mudou a forma das pessoas viverem e se comunicarem. Acompanhando esses avanços, novas ferramentas e estratégias são desenvolvidas todos os dias a fim de melhorar o desempenho comercial das marcas nas redes. Vamos explicar um pouco sobre o marketing por dados que, com o uso da tecnologia, pode alavancar os resultados das empresas.

O marketing orientado para os dados se destaca dentro do universo do marketing digital por oferecer possibilidades de automação e personalização da comunicação, mesmo com grandes quantidades de leads ou clientes. Além disso, os dados compilados e analisados geram insumos importantes para a tomada de decisão, e a antecipação de oportunidades de mercado ou problemas.

Com esse método, são utilizadas informações e dados concretos acerca do mercado para definir os melhores formatos de comunicação. Por meio dos dados e das ferramentas de automação conseguem personalizar conteúdos para serem disseminados em larga escala. O grande diferencial dessa metodologia é que sua abordagem se fundamenta no cruzamento de informações obtidas nos mais variados canais e cenários, pelos rastros que os consumidores deixam nos ambientes digitais e físicos.

A gestão dos dados de maneira unificada permite a automação das ações de comunicação e um nível de personalização do relacionamento de marca em grande escala, que só seria possível nas quitandas do interior que anotavam as compras em uma caderneta.

No final das contas, todo o esforço é voltado para melhorar a experiência do usuário para que ele se sinta em casa e entenda que pode contar com a sua marca para resolver seus problemas, sempre que precisar. Para saber mais sobre o universo da ciência de dados e quais ferramentas podem te ajudar, continue acompanhando o site da Átimo.

Conheça o SAS, parceiro da Átimo que oferece softwares que personalizam a comunicação entre empresa e cliente

Category: Marketing

As plataformas que automatizam a comunicação digital oferecem vários benefícios. Entre eles o aumento da conversão, otimização na captura dos leads e a melhora do relacionamento com o cliente. Atualmente, existem várias plataformas que integram sistemas por meio da automatização e torna mais personalizada a comunicação das marcas com seus clientes, mesmo quando falamos de …

As plataformas que automatizam a comunicação digital oferecem vários benefícios. Entre eles o aumento da conversão, otimização na captura dos leads e a melhora do relacionamento com o cliente. Atualmente, existem várias plataformas que integram sistemas por meio da automatização e torna mais personalizada a comunicação das marcas com seus clientes, mesmo quando falamos de grandes bancos de dados. No SAS ela se chama: Customer Intelligence 360º, CI 360º.

O SAS é líder de mercado em analytics e a maior empresa de software de capital fechado do mundo. Os seus softwares de automação, Plan, Discover e Plan Engage, são especializados em personalizar a comunicação digital em todas as etapas da jornada do consumidor. O serviço é tão customizado quanto as quitandas e mercearias do interior. Entre os principais atributos do CI 360º do SAS, destacam-se:

Usabilidade


A plataforma fornece uma interface amigável para as atividades de campanha, design, execução, segmentação e gerenciamento, para facilitar a vida das empresas. Do disparo de e-mails a integração dos canais em omnichannel a interface é simples e intuitiva.

Gestão da informação do cliente

Fornece recursos de integração para abordar todos os aspectos do gerenciamento de dados do cliente, agrupando e qualificando informações de fontes diferentes.

O rastreio da jornada do usuário é realizado com base em dados de impressão e/ou conversão. Inclui acesso direto aos dados do cliente. Permite, ainda, visualizar dados de resposta e de histórico de contato – facilitando o desempenho das campanhas e seus respectivos relatórios de performance. A plataforma também oferece dashboards interativos e relatórios de autoatendimento.

Análises detalhadas

Permitem a segmentação e análise avançadas por meio de agrupamento. Oferecem a opção de selecionar automaticamente amostras estatisticamente significativas para garantir o controle adequado do dimensionamento do grupo, além de fornecer o rastreio de resultados analíticos.

Desenvolvimento de atividades personalizadas

Com as ferramentas, é possível criar atividades conforme necessário para abordar toda a jornada do consumidor. Desse modo, permite a criação de segmentos, mensagens, eventos e tarefas customizados para envolver os clientes. Sendo um meio para testar e aprender.

Recursos avançados de segmentação e campanha

Para obter uma boa performance de campanha, o cliente poderá criar segmentos para direcionar entre os mais variados canais. Fornece acesso seguro aos dados do cliente diretamente de fontes diferentes e permite criar listas de supressão para fácil reutilização e conformidade.

A comunicação digital aliada ao uso de ferramentas pode alavancar seus resultados. Com o trabalho e as tecnologias oferecidas pela Átimo, em parceria com o SAS, sua marca pode melhorar, e muito, a performance por meio do relacionamento com clientes e prospects.

Entregabilidade: Técnicas para tornar suas campanhas de e-mail marketing um sucesso!

Category: Marketing

O e-mail marketing ­é uma ferramenta que, ultimamente, graças ao avanço das tecnologias de automação de marketing, tem se tornado uma das formas mais eficientes para enviar a mensagem adequada à pessoa certa e no momento mais oportuno. Baseada na comunicação direta entre determinada empresa e seus clientes ou leads via e-mail, essa estratégia tem …

O e-mail marketing ­é uma ferramenta que, ultimamente, graças ao avanço das tecnologias de automação de marketing, tem se tornado uma das formas mais eficientes para enviar a mensagem adequada à pessoa certa e no momento mais oportuno.

Baseada na comunicação direta entre determinada empresa e seus clientes ou leads via e-mail, essa estratégia tem evoluído bastante. Os provedores de e-mail, cada vez mais, buscam garantir uma experiência segura e responsável para seus usuários e, para isso, criaram processos e sistemas que otimizam e regulamentam o uso desse canal.

Para uma maior eficiência do e-mail marketing, é essencial conhecer seus processos e fazer uso de determinadas práticas. Dessa forma, é possível garantir uma entregabilidade saudável.

Para entender o que é entregabilidade e como conseguir bons resultados nesse quesito, continue a leitura e descubra como tornar o e-mail marketing um diferencial da sua empresa.

Entregabilidade: um ciclo do envio à entrega

O e-mail marketing passa por todo um processo até que a mensagem seja entregue ao destinatário. E é importante conhecer esse caminho para que haja maior entendimento da ferramenta e para se otimizar sua entregabilidade. Ocorre da seguinte forma:

  • A mensagem é enviada pelo remetente;
  • O e-mail é codificado pelo servidor remetente e parametrizado para envio pela internet;
  • Ao receber o pedido de entrega da mensagem, o servidor do destinatário realiza uma série de verificações para certificar a autenticidade e a reputação do remetente;
  • Se essas verificações obtiverem resultado positivo, o e-mail é entregue (na caixa principal ou na caixa de spam).

A entregabilidade é a métrica que avalia quantas das mensagens enviadas passaram por todas essas etapas e chegaram com sucesso ao destinatário. Aquelas que não passam nas verificações dos provedores, não são entregues.

Para que a entregabilidade do seu e-mail marketing seja considerada saudável, é necessária uma taxa acima de 95%. Obviamente, quanto mais alta essa taxa, maior a efetividade da estratégia. Por isso, o ideal é que ela se aproxime dos 99%.

Fatores para uma boa entregabilidade

Para melhorar e qualificar o uso do e-mail marketing, os provedores possuem um conjunto de fatores e de verificações. São eles:

Reputação do IP: Todo e-mail enviado está atrelado a um IP, que é o seu endereço numérico na internet, o qual pode ser compartilhado ou dedicado. Para facilitar a identificação de remetentes de spam e melhorar a experiência dos usuários, cada IP possui uma reputação, que é uma nota a ele atribuída pelos provedores, a qual está relacionada ao uso das boas práticas de e-mail marketing. Esse número varia de 0 a 100; quanto maior, mais confiável é o remetente e melhor tende a ser sua entregabilidade. Quanto menor, pior.

Dica: Return Path e Sender Score são exemplos de ferramentas em que a reputação do seu IP pode ser consultada.

Bounce rates: Bounce é o nome que se dá aos erros na entrega de um e-mail. Um bounce pode ser temporário (soft bounce), por exemplo, uma caixa de entrada cheia, ou permanente (hard bounce), como um endereço de e-mail inválido. Quando há um alto percentual de bounce, a reputação do seu IP pode ser reduzida.

Engajamento: É o número de pessoas que clicam nos seus e-mails. Quando maior o seu engajamento, maior a sua reputação e, consequentemente, sua entregabilidade.

Volume e frequência: O volume e a frequência dos seus envios também são avaliados pelos provedores. Os spammers têm a característica de enviar uma grande quantidade de e-mails de forma frequente. Isso diminui a sua entregabilidade, afinal, ao realizar ações de disparo dessa forma, não se cria um relacionamento com o destinatário.

Marcação de spam: Quando um usuário marca seu e-mail como spam, a consequência para a reputação do seu IP pode ser bem danosa. Quando isso acontece, é recomendável não enviar mais qualquer e-mail para esse usuário.

Spam traps: Spam traps são “armadilhas” criadas pelos provedores de e-mail para identificar remetentes de spam que compram listas de e-mail ou não fazem uma higienização adequada. O provedor cria um e-mail ou pega uma conta inativada para usar como armadilha.

Quando e-mails criados recebem alguma mensagem, isso sinaliza aos provedores que o remetente pode ter comprado uma lista de e-mails, pois aquela conta não havia se inscrito organicamente em lugar algum. Já os endereços inativos reaproveitados para as armadilhas podem indicar que o remetente não faz a adequada limpeza da lista e, com isso, continua-se enviando mensagens para essas contas.

Blacklists: São bancos de dados em tempo real que indicam endereços de IP (ou domínio) suspeitos de enviar spams. São criadas por provedores de internet ou organizações que estimulam boas práticas de e-mail marketing.

Boas práticas para garantir a entregabilidade saudável dos seus e-mails

Por se tratar de uma das estratégias que, quando bem executadas, apresentam melhores resultados, uma boa entregabilidade do seu e-mail marketing exige questões bem técnicas e de rotina.

Para ajudar as suas campanhas de e-mail marketing a conquistar taxas de entregabilidade saudáveis, seguem abaixo algumas técnicas e estratégias:

  1. SPF (Sender Policy Framework): Configurar o SPF é importante, pois ele serve para identificar se o servidor ou os endereços de IP estão autorizados a enviar e-mails utilizando aquele domínio. Tem a função de prevenir que outras pessoas se passem por sua empresa, com o intuito de aplicar golpes. Quando o SPF do e-mail é invalido, a mensagem é descartada e, portanto, não é entregue ao destinatário. Pelo site oficial do SPF você consegue obter mais detalhes: http://www.openspf.org/.
  2. DKIM (DomainKeys Identified Mail): Funciona como uma assinatura digital criptografada e garante a autenticidade do remetente. O DKIM também certifica que o conteúdo do e-mail não foi alterado durante o envio até chegar à caixa de entrada do destinatário. No link http://www.dkim.org/ você acessa o site oficial para acessar todas as informações.
  3. DMARC (Domain-Based Message Authentication, Reporting and Conformance): É uma nova autenticação, baseada na SPF e DKIM. Valida o remetente e o conteúdo, ajuda a identificar falhas e inconsistências no disparo e permite configurar a ação que deve ser tomada caso exista algum erro com a mensagem: rejeitar o e-mail, enviar para o spam, entre outras. No site oficial do DMARC (https://dmarc.org/) você pode obter mais detalhes.
  4. [CM1] 

Rotinas e ferramentas que podem melhorar sua entregabilidade

  1. Feedback loop: O sistema de feedback loop inativa automaticamente as leads que marcaram um e-mail seu como spam. Isso evita que você continue disparando e-mails para quem já lhe marcou como spam. Pode ser feito por ferramenta de automação ou configurado manualmente.
  2. Adicione seu domínio em whitelist: Opostas às blacklists, as whitelists identificam IPs confiáveis. O dnswl.org é um exemplo de site que realiza esse trabalho de forma gratuita. Porém, a melhor forma de aumentar sua reputação é ser adicionado à lista de contatos pessoais dos seus leitores por eles próprios. Você pode sugerir essa inclusão no e-mail de boas-vindas, por exemplo.
  3. Double opt-in: Trata-se de um sistema de confirmação dupla para cadastramento de e-mail. Apesar de exigir do seu potencial cliente um passo a mais para aderir à sua lista, o double opt-in garante uma lista mais engajada, o que aumentará, consequentemente, as taxas de abertura e clique dos e-mails futuros.
  4. Quando a pessoa se cadastra em uma página de captura, ela precisa reafirmar seu interesse e sua permissão ao clicar no link de confirmação disparado logo no primeiro e-mail após a inscrição.
  5. Inclua link de descadastro: Para reduzir as chances de que seu e-mail seja marcado como spam, é sempre importante incluir link para descadastro em todas as mensagens enviadas. Como dito anteriormente, receber uma marcação como spam é extremamente danoso para o IP e essa é uma ação que minimiza esse risco. Além disso, mostra respeito com o destinatário e ainda mantém sua base ativa e engajada.
  6. Higienize sua lista: Pra evitar ser pego nas spam traps com e-mails inativos, como explicamos anteriormente, é essencial realizar a higienização dos contatos constantemente. Outro benefício da higienização é a qualificação da lista, o que a aumenta as taxas de abertura e os cliques.
  7. Não compre listas de e-mails: Pelo mesmo motivo citado acima, escapar das spam traps, jamais compre listas de e-mails. Além de tudo o que já foi apontado, os contatos presentes na lista não autorizaram a inclusão e, provavelmente, não têm interesse em se comunicar com sua empresa. Essa é uma ação que não traz retorno positivo e que pode incluir seu IP em blacklists.
  8. Uso moderado de imagens e alt text configurado: Atualmente, os filtros dos provedores são cada vez mais inteligentes na busca por spams. O excesso de imagens é um sinal de alerta para essas ferramentas. Por isso, recomenda-se que o uso de imagens seja moderado e que o campo alt text (texto alternativo) esteja sempre configurado.
  9. HTML limpo e que não ultrapasse 102k: É essencial que o HTML do seu e-mail possua um código limpo. Além de ser uma boa prática em SEO, essa ação é um grande diferencial para sua entregabilidade. Além disso, manter o código limpo ajuda a reduzir o peso do HTML.
  10. Um e-mail com template HTML com código desorganizado, que contenha erros e códigos desnecessários, pode ser bloqueado pelos provedores ou direcionado para a caixa de spam.

Conclusão

Todas essas ações e técnicas, associadas a e-mails bem escritos e com conteúdo interessante, disparados de forma segmentada, prometem entregar resultados incríveis à sua estratégia de e-mail marketing. Não é fácil, mas quem atende a todas elas pode obter um ótimo retorno. Aqui na Átimo você encontra dicas de boas práticas sobre Marketing Digital que podem transformar o seu negócio! Continue por aqui!


 [CM1]Google Post Master Plus. Adicionar como ferramenta

Lead Scoring: poderosa técnica que otimiza o processo de conversão de leads em clientes fiéis

Category: Marketing

O Lead Scoring é uma técnica que visa a tornar mais eficiente o processo de vendas de uma empresa que possua estratégia de Inbound Marketing. Ela consiste em um método de pontuação de leads utilizada para identificar aqueles que estão mais preparados para a compra, por meio de qualificações e priorizações automáticas ou manuais. Em …

O Lead Scoring é uma técnica que visa a tornar mais eficiente o processo de vendas de uma empresa que possua estratégia de Inbound Marketing. Ela consiste em um método de pontuação de leads utilizada para identificar aqueles que estão mais preparados para a compra, por meio de qualificações e priorizações automáticas ou manuais. Em geral, a classificação dos leads vem de duas pontuações: perfil (dados como cargo e segmento) e interesse (informações como acessos e conteúdo consumido).

Ela funciona, de forma resumida, da seguinte forma: analisa todos os leads a partir de alguns critérios definidos e, com essa análise, determina uma ou mais notas para identificar se o lead está pronto ou não para a compra. Sem essa qualificação, o time de vendas perderia tempo com pessoas que não estão prontas para efetivamente consumir. Os leads que receberem pontuação considerada positiva pela empresa serão passados ao time de vendas, que tentará convertê-los em clientes.

A tecnologia pode ser utilizada tanto por empresas pequenas quanto grandes, desde que já trabalhem com uma estratégia de Inbound Marketing que gere leads.  Dessa forma, os pequenos negócios podem se beneficiar porque passam a ter auxílio para priorizar esses leads e porque adquirem um conhecimento maior da base de contatos. Já as empresas maiores e mais consolidadas podem tornar o processo de vendas mais eficiente, além de automatizar o relacionamento com os leads de acordo com seu perfil.

Como criar a classificação realizando Lead Scoring?

Método tradicional

Adote estrelinhas ou pontuação para:

- Perfis: idade, renda e cargo que ocupa.

- Interesses: se o lead já baixou algum conteúdo importante da sua empresa, se assina a sua newsletter, entre outros.

Método da pontuação preditiva

Algoritmos de pontuação preditiva cruzam dados de clientes atuais da empresa com dados de leads que não finalizaram as compras para descobrir de maneira automática, qual peso dar para cada informação coletada. A partir dessa comparação de dados, o algoritmo cria uma fórmula que classifica os leads automaticamente.

Com a pontuação, é possível classificar os leads em “potenciais clientes prontos para a compra”, “potenciais clientes que ainda necessitam mais ações para evoluírem e estarem prontos” e “indivíduos com pouca ou nenhuma possibilidade de compra”.

É importante destacar que o processo para a criação dos critérios de pontuação e da classificação do que é ou não um potencial cliente e as estratégias direcionadas a cada um desses grupos devem ser definidos e refinados por cada empresa, de acordo com sua a natureza e o seu contexto. Esse procedimento deve estar sempre sendo aprimorado com base em resultados anteriores. Dessa forma, o sucesso será ainda maior.

Quer saber mais sobre Lead Scoring e outras estratégias e tecnologias de automação de marketing e inteligência de dados? Cadastre seu e-mail e fique por dentro de todas as novidades e oportunidades para impulsionar seus resultados.