Como o fim dos cookies afetará o futuro da propaganda

Category: Uncategorized

Para atingir os consumidores com maior precisão, a publicidade digital depende do uso de audiências de clientes construídas a partir da captura de nossos dados digitais. A coleta dessas informações e realizada por empresas de tecnologia, chamadas de DMPs – Data Management Platforms – que inserem pequenos códigos de programação – ou tags – em …

Para atingir os consumidores com maior precisão, a publicidade digital depende do uso de audiências de clientes construídas a partir da captura de nossos dados digitais.

A coleta dessas informações e realizada por empresas de tecnologia, chamadas de DMPs – Data Management Platforms – que inserem pequenos códigos de programação – ou tags – em sites de parceiros, passando a registrar e armazenar o nosso comportamento de navegação.

As novas leis de proteção de dados pessoais têm determinado critérios mais restritivos para coleta de informação, dentro os quais, a necessidade de que haja um consentimento por parte do consumidor. Big Techs como Google e Microsoft reagiram rapidamente, eliminando a possibilidade de capturar de dados por meio de cookies de terceiros em seus browsers.

Em consequência disso, tem havido uma drástica diminuição das audiências oferecidas pelas DMPs, comprometendo a capacidade da publicidade digital definir públicos mais assertivos e potencialmente de maior retorno financeiro.

Frente a isso, enquanto as DMPs e plataformas de tecnologia não encontram soluções técnicas para viabilizar novas formas de captura de dados em compliance com as novas leis de publicidade, anunciantes de todos os setores econômicos têm procurado alternativas para obter por conta própria os dados de seus consumidores. Grandes empresas de bens de consumo, por exemplo, têm se lançado de programas de fidelidade para estimular seus clientes a registrar seus dados pessoais e suas compras.

A boa notícia é que esses dados capturados pela própria empresa – chamados de first party data - têm se mostrado ainda mais eficientes que os dados oferecidos pelas DMPs (3rd party data) que eles vieram a substituir, apresentando uma conversão em vendas sensivelmente superior. Segundo dados da BCG – Boston Consulting Group, a publicidade alimentada com dados pessoais é duas vezes superior àquela que faz uso de audiências tradicionais.

Seja pela restrição dos cookies das DMPs ou pela maior eficiência do first party data, o fato é que estamos vivendo um momento em que a posse das informações pessoais de clientes está no centro da estratégia corporativa de todas as grandes marcas.

4 Tendências para o Marketing Digital em 2022!

Category: Uncategorized

O ano de 2021 foi favorável para o marketing digital. Estratégias novas, muitas empresas entrando no digital, e muitos serviços físicos passando para o on-line, facilitando a vida das pessoas. E 2022 promete ser um ano muito promissor, confira abaixo quatro tendências que prometem vir fortes para o marketing digital. Chatbots Tendência desde o ano …

O ano de 2021 foi favorável para o marketing digital. Estratégias novas, muitas empresas entrando no digital, e muitos serviços físicos passando para o on-line, facilitando a vida das pessoas. E 2022 promete ser um ano muito promissor, confira abaixo quatro tendências que prometem vir fortes para o marketing digital.

Chatbots

Tendência desde o ano passado, os chatbots cada vez mais vêm fazendo parte das empresas, facilitando a conversação entre cliente e marca. Porém, será preciso humanizar esse serviço e aumentar a abrangência de assuntos que os bots podem ser capazes de responder. Com as possibilidades de evolução, esse serviço promete deixar de ser opção e se tornar uma necessidade.

Marketing Interativo

O Marketing Interativo está na mira das agências e dos influenciadores, trazendo pontos em alta quando se trata de redes sociais. As lives e o social selling (vendas dentro das redes sociais) são os maiores exemplos disso. As lives permitem a conexão ao vivo da marca ou do influenciador com os seus seguidores e clientes, além de permitir colabs ao vivo com qualquer pessoa, dando preferência para aquelas que tragam autoridade para o nicho.

Assinaturas dentro do Instagram

Nesse comecinho de 2022, o instagram já começou a testar a Assinatura, que tem como proposta oferecer uma vantagem para os seguidores de determinado criador de conteúdo, marca ou influenciador. Essa nova ferramenta permitirá colocar conteúdos exclusivos para os seguidores (algo que alguns já faziam, porém na parte de melhores amigos, que sofreu diversas mudanças no último semestre) que assinarem os serviços do criador.

Novos desafios para a LGPD Com as pessoas cada vez mais se entendendo não só como usuários mas como indivíduos digitais, novas repartições jurídicas devem surgir. A imersão digital não para de crescer, e a proteção de cada pessoa on-line é cada vez mais necessária para tudo que está em jogo. Novos conceitos como o metaverso não se adequam mais às leis existentes, e o número de usuários vai crescer muito até o fim deste ano, requisitando uma forte atenção. (Nós da Átimo Digital atendemos a todos os requisitos de segurança digital, fale com a gente!)

Customer experience e omnichannel: melhores estratégias para aperfeiçoar o relacionamento com o cliente

Category: Uncategorized

A forma como os consumidores se relacionam com as marcas mudou. Diante dessa afirmação, entendemos que o marketing não deve ser pautado unicamente por peças criativas. Os dados são excelentes ferramentas, que, juntamente com as análises, podem aperfeiçoar as estratégias dos negócios. Então, lembrem-se: a compra é uma jornada de consumo que abrange diferentes comportamentos …

A forma como os consumidores se relacionam com as marcas mudou. Diante dessa afirmação, entendemos que o marketing não deve ser pautado unicamente por peças criativas. Os dados são excelentes ferramentas, que, juntamente com as análises, podem aperfeiçoar as estratégias dos negócios. Então, lembrem-se: a compra é uma jornada de consumo que abrange diferentes comportamentos do consumidor.

Analisando-se isso, é possível criar um mapa entre o primeiro contato com a marca e o que acontece a seguir. Saber falar corretamente com o seu público em cada etapa ao longo dessa trajetória é essencial para a expansão da sua empresa. Isso permite a comunicação direta com seu potencial cliente, possibilitando estabelecer um relacionamento entre ele e a marca por um longo período.

Dessa forma, é fundamental criar uma estratégia de informação e canais para se conectar ao cliente. E boas iniciativas neste foco podem ser a customer experience – CX e a omnichannel.

A Átimo te ensina agora como essas estratégias funcionam na prática.

Customer Experience – CX

A customer experience – CX entende o processo de venda como uma jornada, em que deve ser analisado o comportamento do consumidor desde a decisão de comprar até o pós-venda centrado no cliente. Sendo assim, as ações devem ser embasadas em três pontos: o esforço, que facilita a ligação entre a empresa e o cliente; o emocional, quando se cria um vínculo com a marca; e o sucesso, que visa demonstrar o interesse da empresa na usabilidade do produto pelo cliente.

Para alcançar os objetivos desejados, a estratégia de CX abarca iniciativas como a personalização do canal e do atendimento; o interesse e a resposta da marca perante críticas, elogios e dúvidas; e o gerenciamento eficaz da comunicação com o cliente (e-mails, redes sociais, telefone).

Dessa forma, é imprescindível o uso e a eficiência da automação de marketing para colocar a estratégia de CX em prática. Essa ação se vale do uso de agentes virtuais, como chatbots, ferramentas de machine learning e até o processamento de linguagem natural (PLN).

Omnichannel

Já a estratégia de omnichannel é quando uma empresa atua em mais de um canal de relacionamento de maneira integrada, com lojas físicas, meios digitais, telefone etc. O foco é evitar completamente que processos de cada canal operem separadamente, evitando, assim, problemas para o consumidor.

Portanto, a omnichannel consiste em integrar esses canais, a fim de que coadunem como um só histórico do cliente. Isso representa uma atuação da marca mais efetiva perante seus consumidores.

Na prática, os clientes que fornecem informações na hora da compra, por exemplo, em loja física, se precisarem de outro atendimento via telefone ou internet, já terão seus dados e histórico armazenados na plataforma da empresa.

Entre os benefícios gerados pela estratégia está o cruzamento de dados, que permite criar novas estratégias de venda e melhorar a experiência dos clientes; e possibilita a observação do comportamento de clientes com a marca ao longo do tempo, de maneira prática e eficiente.

Com a estratégia correta vem o sucesso, não só de vendas, mas no relacionamento com o cliente. A Átimo é especializada em gerenciamento da jornada do cliente. Fale conosco!